o selo

Selo Pernambucano relança clássicos do Ave Sangria e reúne o grupo para show no Teatro de Santa Isabel

O disco “Ave Sangria” ganha nova edição limitada e áudio do show histórico do grupo em 1974 vira LP pela Ripohlandya

O palco do Teatro de Santa Isabel se prepara para receber uma apresentação histórica. No dia 02 de setembro de 2014, às 20h a banda Ave Sangria volta ao palco que realizou sua última apresentação, em dezembro de 1974, para comemorar a nova edição do único e homônimo disco de estúdio e o lançamento do LP com áudio do show “Perfumes Y Baratchos”, considerado um dos melhores da carreira do grupo. Realizado pelo selo pernambucano Ripohlandya, esta iniciativa conta com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, através do Fundo Pernambuco de Incentivo à Cultura – Funcultura.

Formada no início dos anos 70, a banda contava com Marco Polo (vocais), Ivson Wanderley (guitarra solo e violão), Paulo Rafael (guitarra base, sintetizador, violão, vocal), Almir de Oliveira (baixo), Israel Semente (bateria) e Agrício Noya (percussão).

Os músicos misturavam sons do folclore local com o rock e a psicodelia da época. Inicialmente o grupo se chamou “Tamarineira Village”, mas tempos depois acabou adotando o nome “Ave Sangria” que segundo conta a lenda foi sugestão de uma cigana que os integrantes conheceram no interior da Paraíba. “Ela gostou de nossa música e fez um poema improvisado, referindo-se a nós como aves sangrias. Achamos legal.

O sangria, pelo lado forte, sanguíneo, violento do Nordeste. O ave, pelo lado poético, símbolo da liberdade do nosso trabalho”, explicou certa vez o ex-vocal da banda Marco Polo.

O disco Ave Sangria, de 1974, o único que gravaram ganha uma nova edição em Gatefold e 180g, com o áudio restaurado e masterizado a partir de uma cópia do disco original da época. O trabalho foi um marco na mistura de rock psicodélico, ritmos tradicionais nordestinos e experimentação. Faz parte da lista de clássicos como Paêbirú, de Zé Ramalho e Lula Côrtes, No sub reino dos metazoários, de Marconi Notaro, e Satwa, de Lula Côrtes e Lailson.

Ainda em 1974, o grupo fez uma de suas melhores apresentações com o show Perfumes Y Baratchos. O público que foi ao Santa Isabel não sabia, mas teve o privilégio de assistir o último show que marcou o fim da banda. O áudio do show foi gravado e quarenta anos depois se transforma em vinil com visual do cartaz original de autoria de Laílson Holanda, diagramado por Camilo Maia, com fotos e cartazes raros do grupo. Com 12 músicas, o material recebeu tratamento do Fábrica Estúdios.


Ripohlandya Records: Com nome emprestado de uma comunidade hippie de Pernambuco, a banda Anjo Gabriel criou o selo fonográfico Ripohlandya Records, em 2011, para lançar os discos do próprio grupo. O primeiro trabalho a chegar nas prateleiras das lojas de música foi o debut da banda batizado "O Culto Secreto do Anjo Gabriel", no formato vinil duplo 140g preto e CD. A edição em vinil teve 500 cópias e esgotou em seis meses.

O sucesso do lançamento rendeu outra edição, desta vez em vinil colorido vermelho (disco 1) e amarelo (disco 2), em 180g, lançado em 2012 com sua tiragem de 300 cópias esgotada em quatro meses. Em 2013, o selo lança "Lucifer Rising", segundo disco da Anjo Gabriel, em vinil 140g, capa gatefold, com distribuição na Europa pelo selo Pactus Records. Mais uma vez, a primeira tiragem de 500 cópias esgotou em dois meses. “Lucifer Rising” também foi lançado em CD e, atualmente, é o único produto ainda disponível a venda do catálogo do selo.

Agora, o selo se prepara para lançar dois trabalhos da histórica banda pernambucana Ave Sangria. O primeiro é a nova edição do único e homônimo disco de estúdio da histórica banda, lançado em 1974. Do mesmo ano, o selo recuperou o registro da última apresentação do grupo “Perfumes Y Baratchos”, realizado no Teatro de Santa Isabel e considerado um dos melhores da carreira da Ave Sangria. Ambos os discos serão lançados em formato vinil e digipack.